HOSPITAL ESTADUAL INFANTIL NOSSA SENHORA DA GL√ďRIA

A REALIZAÇÃO DE UM SONHO

A história do nosso Hospital tem início com a chegada de um jovem casal, um médico, o Dr. Moacyr Ubirajara e sua esposa, a enfermeira Mary Hosannah Ubirajara.

Dr Moacyr trabalhava no ambulat√≥rio de pediatria do Departamento de Sa√ļde P√ļblica de Vit√≥ria, por√©m n√£o estava satisfeito. Queria mais. Estava cansado de n√£o ter onde colocar as crian√ßas que precisavam de tratamento hospitalar. Ele tinha um sonho: arrumar um local. Com esse objetivo, foi √† luta. Decidiu pedir ajuda √† irm√£ da sua esposa que era diretora do Col√©gio do Carmo, quem concordou em ceder um espa√ßo do col√©gio, localizado na rua Sete de Setembro, no centro de Vit√≥ria com capacidade para vinte leitos. Estava assim, criado o ‚Äúembri√£o‚Äú do nosso Hospital.

A partir daquele dia, o m√©dico e sua esposa, deram corpo e alma √†quele projeto...mas tinham que contar com recursos financeiros para manter aquele lugar. Com esse objetivo, foi criada a ‚ÄúLiga Espiritossantense de Assist√™ncia e Prote√ß√£o √† Inf√Ęncia‚ÄĚ. Foi um come√ßo dif√≠cil, mas que encheu de satisfa√ß√£o o cora√ß√£o do casal.

Nessa época o Brasil sofria os efeitos da crise de 1929 dos Estados Unidos, que provocou a queda na produção industrial, gerou desemprego e diminuiu o comércio internacional. O valor do café no mercado externo caiu 57%. O Brasil foi diretamente prejudicado e nosso Estado também, pois o café era a sua principal fonte agrícola. Como estratégia para enfrentar a crise, o Instituto Brasileiro do Café (IBC) promovia a queima de grande quantidade do produto, para reduzir a demanda e aumentar o preço no mercado. Foi aí que o Dr Moacyr teve uma grande idéia: conseguiu convencer o então interventor do nosso Estado, João Punaro Bley, a estocar grandes toneladas de café, salvando-o da fogueira. Quando o café valorizou foi comercializado.

O Dr. Moacyr achava que estava passando da hora de o nosso estado ter um hospital pediátrico, já que o local (Colégio do Carmo) ficara pequeno tendo em vista a imensa quantidade de crianças que necessitavam de seus cuidados. Assim ele, com o apoio da sua esposa e várias damas da nossa sociedade, convenceu João Punaro Bley a comprar um terreno e construir o primeiro hospital pediátrico com o dinheiro resultante da venda do café.

Em 15 de agosto de 1935, foi inaugurado em nossa cidade, no morro do Itapenambi, uma colina situada no Bairro de Praia Comprida, hoje Santa L√ļcia o Hospital Infantil Nossa Senhora da Gl√≥ria. O nome √© uma homenagem √† Virgem Maria, cujo dia de devo√ß√£o coincide com a data de sua inaugura√ß√£o.

O Hospital possu√≠a uma sala de atendimento, destinada √† realiza√ß√£o de consultas m√©dicas, 5 enfermarias para interna√ß√£o dos pacientes e um centro cir√ļrgico. Sua capacidade era de 70 leitos. O primeiro diretor foi o seu fundador, que assim permaneceu por cerca de vinte anos. Dr. Moacyr era o √ļnico m√©dico, mas contou, em alguns per√≠odos, com a presen√ßa de outros colegas, como: Dr. Etienne Dessaune, Dr. Arthur de Carvalho Meirelles, Dr. Dorotheu Guedes Alcoforado Jr, Dr. Jo√£o Manoel Carvalho Filho, Dr. Ormandino Benezath e Dr. Carlos Pandolpho Teixeira, cirurgi√£o. Este √ļltimo entrou para o HINSG em 1945. No ano de 1953, Dr.Jorge Abikair tamb√©m passou a integrar o corpo cl√≠nico do hospital.

Em 1954, abalado com a morte da sua esposa, Dr. Moacyr deixou o HINSG e o Espírito Santo, retornando para o Rio de Janeiro, onde permaneceu até a morte. Com sua saída, assumiu a direção do hospital o Dr. Jolindo Martins.

Bibliografia

1-Aspectos Sócio-Histórico da Implantação de uma Proposta de Atendimento Escolar Hospitalar. - Sílvia Moreira Trugilho (Assistente Social do HINSG e mestranda em Educação no PPGE/CP/UFES)

2-Tempo de História - Gleuso Damasceno Duarte.